terça-feira, 30 de março de 2010

Tarte de Chocolate com Morangos

Os morangos andam aí. Um bocadinho por toda a parte, desde os supermercados até às bermas da estrada nacional que me acompanha ao trabalho todos os dias (menos domingos). E os morangos, não duvido que toda a gente já o saiba, são a melhor fruta para acompanhar um fondue de chocolate. E quem diz fondue, diz uma mousse de chocolate, por exemplo. E quem diz mousse, diz uma tarte de ganache de chocolate coberta com mousse de chocolate. No fundo o morango aqui, neste cenário de quase overdose de cacau, funciona um pouco como as gotinhas de antídoto essenciais para manter o equilíbrio e evitar alguma fatalidade...

Ingredientes:

Massa:
300g de farinha
100g de manteiga com sal
30g de açúcar
100ml de água fria

Ganache:
150g de chocolate amargo (70% de cacau)
100g de chocolate negro (±50% de cacau)
200ml de natas
Essência de baunilha (eu usei uma colher de sopa de açúcar baunilhado)
Pimenta preta qb

Mousse:
100g de chocolate negro
30g de manteiga
50ml de leite
100ml de natas
2 ovos
1 colher de sopa de açúcar

Morangos


  1. Vamos começar pela massa: numa tigela amassar com uma colher de pau ou os dedos, a farinha e o açúcar com a manteiga à temperatura ambiente, até formar uma espécie de areia. Juntar aos poucos a água fria até se formar uma bola moldável (pode não ser necessário juntar a água toda). Num pedaço de papel vegetal marcar o tamanho da tarteira (contar com mais alguns centímetros para além do diâmetro, para a altura das paredes). Polvilhar com um pouco de farinha e com um rolo dar forma à massa. Transferir o papel vegetal com a massa para a tarteira, cobrir com feijões (para que a massa não empole) e levar ao forno 20 minutos a 180ºC. Transferir para uma rede para arrefecer.
  2. Em seguida, para a ganache, levar ao lume um tacho com água. Numa tigela que assente nesse tacho sem tocar na água, colocar o chocolate para a ganache partido em pedaços. Juntar as natas e mexer até o chocolate derreter e incorporar nas natas. Juntar a essência de baunilha e a pimenta preta (ambas a gosto). Despejar sobre a base da tarte e levar ao frigorífico até solidificar (30-60 minutos é suficiente).
  3. Para a mousse, levar ao micro-ondas o chocolate com a manteiga até derreterem. Mexer bem. Juntar sucessiva e progressivamente (mexendo sempre bem) o açúcar, as natas, o leite e por fim as gemas dos ovos. Numa taça limpa bater as claras em castelo firme e juntá-las ao preparado anterior, envolvendo-as até homogeneizar. Verter a mousse sobre a ganache entretanto solidificada e levar a tarte ao frigorífico de um dia para o outro.
  4. Antes de servir cobrir com morangos (cortados em fatias, inteiros, às metades,... como vos agradar mais).
A tarte poderá ser mais ou menos forte no chocolate bastando para isso jogar com a intensidade do chocolate que usarem. Por mim, que gosto de chocolate forte, achei que é uma tarte melhor para um lanche do que para uma sobremesa no fim duma refeição farta: este é um doce com sabor intenso, que pede a atenção toda para si.

Bom apetite!

sábado, 20 de março de 2010

Salada de Beterraba e Laranja

Ainda em modo "Laranjas a todo o serviço" (depois de me terem dado muitas e muitas laranjas), experimentei fazer uma salada boa para os últimos dias de Inverno ou para os dias de Primavera envergonhada: a beterraba acabada de sair do forno ligeiramente refrescada pela laranja, um cocktail de vitamina C contra as constipações da época.

Ingredientes( como acompanhamento, para 2 pessoas):
2 beterrabas pequenas/médias
1 laranja
1 rama de cebola picada (ou cebolinho picado)
Azeite, vinagre, sal, pimenta

  1. Lavar a beterraba com casca de levar ao forno tapada com papel de alumínio durante 1hora a 180ºC (mais tempo se preferirem bem cozida). Deixar arrefecer um pouco e descascar (pelar) com cuidado. Cortar em fatias.
  2. Descascar a laranja e cortar em fatias. Reservar fatias suficientes para duas colheres de sumo de laranja. Partir as restantes fatias em gomos e juntar à beterraba. 
  3. Numa tigela misturar 2 colheres de azeite, 2 colheres de sumo de laranja, 1 colher de vinagre, sal, pimenta e a rama de cebola picada. Mexer muito bem para emulsificar e adicionar à salada.
  4. Misturar tudo e servir.
Bom apetite!

Coxas de Frango com Bacon e Molho Teriyaki

Esta receita é baseada numa de outro blog, o conhecido As Minhas Receitas, que por sua vez parece tê-la descoberto através de outros dois blogs ou pelo menos de outras duas bloguistas. A diferença desta é que foi feita com molho Teriyaki, que é um molho usado nos grelhados japoneses, à base de molho de soja, vinho e açúcar ou mel com mais algumas especiarias. Não é portanto muito diferente da receita original que levava uma marinada de soja e mel em vez do molho Teriyaki.

É uma receita prática porque precisa de muito pouco tempo de preparação. Só não é rápida pelo tempo que leva no forno, mas esse é um tempinho perfeito pra esticar as pernas no sofá.

Ingredientes:
4 coxas de galinha sem pele
2 colheres de sopa de molho Teriyaki
1 pitada de gengibre em pó e outra de pimenta
4 fatias de bacon
Sementes de sésamo

  1. Envolver as coxas de frango no molho Teryaki e temperar com gengibre e pimenta moída. Se tiver tempo deixar 30 minutos a marinar (não é essencial).
  2. Enrolar cada coxa com bacon, passar pelo molho novamente e polvilhar com as sementes de sésamo. 
  3. Levar ao forno aquecido a 200ºC, num tabuleiro forrado com papel vegetal (senão depois vão passar um dia inteiro a tentar limpar o tabuleiro) coberto com papel de alumínio. Ao fim de 20 minutos destapar e deixar dourar mais 20 minutos.
Bom apetite!

sexta-feira, 19 de março de 2010

Bolo de Laranja e Azeite


Esta semana o meu forno decidiu vingar-se da sujidade e consequente limpeza a fundo pelas quais o fiz passar na semana anterior. Vai daí, pensou ele, que nada melhor para uma vingança que tentar estragar uma boa receita de bolo de laranja e se bem o pensou melhor o tentou: toca de se desligar cada vez que eu lhe virava  as costas. O que vale é que esta receita é realmente uma óptima receita e mesmo que tenha acabado por ser feita a uma temperatura mais alta do que a recomendada para evitar estar sempre a abrir o forno para voltar a acendê-lo e assim o bolo tenha ficado um pouco mais tostado e mais denso do que devia, toda a gente gostou dele.

A receita vem do luso-descendente David Leite, que fez um livro americano sobre a cozinha portuguesa "The New Portuguese Table". Podem ver o original da receita no seu site. Por preguiça, apesar de preferir tudo bem pesadinho e em gramas, desta vez arranjei uma chávena modelo e fiz as medidas de facto em chávenas (usei uma chávena com capacidade para mais ou menos 125g de farinha). Estas quantidades deram-me para um bolo de forma redonda e outro em forma de bolo inglês.

Ingredientes:
4 ou 5 laranjas (o suficiente para 1,5 chávena de sumo)
3,5 chávenas de farinha com fermento
1 colher de chá de sal
5 ovos L
3 chávenas de açúcar
1,5 chávenas de azeite (idealmente suave extra-virgin)
Manteiga e farinha paa a forma

  1. Aquecer o forno a 175ºC. Untar uma forma redonda com buraco e/ou uma forma de bolo inglês com manteiga e polvilhar com farinha.
  2. Numa  tigela, com a batedeira eléctrica, bater os ovos durante um minuto. Juntar o açúcar lentamente e ir batendo até obter uma mistura cremosa e amarela pálida (cerca de 3 minutos).
  3. Noutra tigela misturar a farinha e o sal. Com a batedeira ligada juntar 1/3 da farinha aos ovos com açúcar, depois metade do azeite, 1/3 da farinha novamente, o resto do azeite e por fim o resto da farinha (isto é, juntá-los alternadamente começando e acabando com a farinha).
  4. Adicionar raspa de 3 laranjas e a chávena e meia de sumo e misturar bem.
  5. Verter para a forma. Colocar o bolo a meio do forno e deixar cozinhar por 1h:15m (como tive de deixar com mais temperatura, levou menos tempo), tapando com alumínio se estiver a dourar depressa demais. Deixar arrefecer 15 minutos antes de o tirar da forma para arrefecer completamente e idealmente deixar arrefecer dum dia pro outro antes de servir.
E pronto, não é complicado e é bastante bom. No site do autor até podem ver um vídeo com a realização do bolo. Mais detalhado que isso é impossível. :-)

Bom apetite!

segunda-feira, 15 de março de 2010

Almôndegas de Porco com Especiarias


No meu congelador há quase sempre carne picada. Gosto da sua versatilidade e acima de tudo da quantidade de receitas rápidas e práticas que permite. Em forma de lasanhas, massas, gratinados, hamburgueres ou neste caso almôndegas, a carne picada salva um rol de jantares a meio da semana de trabalho.

O maior trabalho que as almôndegas dão é obviamente a dar-lhes forma e mesmo assim, em meia hora vai-se da carne picada crua no frigorífico até ao momento em que nos servimos das almôndegas já postas na mesa.

Ingredientes (2 pessoas):
300g de carne de porco picada
1/2 cebola picada
2 fatias de bacon picadas finamente
2 colheres de sopa de pão ralado
1 ovo batido
1 colher de sobremesa de amido de milho
1/2 copo de vinho branco
1 copo de água
1/2 cubo de caldo de carne
150g de cenouras baby
sal, mistura de 5 pimentas, noz moscada, cominhos, açafrão, azeite

  1. Numa tijela misturar a carne com o pão ralado, a cebola, o bacon e o ovo. Temperar com sal (pouco por causa do bacon), pimenta, noz moscada e cominhos. 
  2. Com a ajuda de um pouco de farinha,  formar bolas de tamanho do preparado anterior.
  3. Num tacho aquecer um pouco de azeite e fritar as almôndegas. Deixar dourar dum lado e ir virando porgressivamente para dourarem dos outros.
  4. Juntar o vinho branco. Dissolver a maisena no copo de água e adicionar ao tacho. Temperar com meio cubo de caldo de carne e açafrão a gosto.
  5. Adicionar as cenouras, deixar ferver e depois tapar e deixar cozinhar em lume brando durante 10 minutos.
E está pronto a servir, de preferência com arroz simples. Não coloquei quantidades nos temperos porque isso depende do gosto de cada qual.

Bom apetite.

domingo, 7 de março de 2010

Bolo Pudim de Chocolate com Molho Quente


Há comidas que não são muito fotogénicas mas que na boca são divinais. Esta é uma delas. Nas fotos é uma confusão castanha escura e lamacenta mas ao vivo e na boca é como uma visita à Fábrica de Chocolate do Willy Wonka, onde a terra castanha escura que se vê é feita com puro chocolate e é banhada por um rio borbulhante e quente também ele de chocolate. E no dia seguinte, quando este rio arrefece, descobrimos que se transformou num pudim suave e luxuriante. Um bolo assim e tão fácil, é pecado de certeza.

A receita original não sei de quem será. A versão que segui encontrei no blog Eating Small Potatoes e quando a encontrei arranjei logo uma desculpa para a poder experimentar (sim, é daquele tipo de bombas de chocolate em que é preciso uma desculpa para não nos sentirmos culpadas depois...). É o tipo ideal de bolo para acompanhar com gelado ou com morangos.

Ingredientes:
Açúcar
Farinha com fermento
Cacau
Manteiga com sal
Leite
Sal
Extracto de baunilha
  1. Untar com manteiga uma forma redonda de 22 cm. Aquecer o forno a 180ºC.
  2. Numa tijela misturar 1 chávena de farinha com fermento, 3/4 de chávena de açúcar e 4 colheres de sopa de cacau.
  3. Adicionar 1/2 chávena de leite, 1 colher de chá de baunilha e 2 colheres de sopa de manteiga derretida. Bater tudo até formar uma pasta suave e depois verter para a forma.
  4. Numa tijela limpa misturar 3/4 de chávena de açúcar e 1/4 de chávena de cacau. Polvilhar por cima da pasta na forma. Não misturar.
  5. Aquecer 1+3/4 de chávena de água e despejar na forma. Não misturar.
  6. Levar ao forno durante 40 minutos.
O que vai acontecer no forno é fascinante. A água vai ferver e no topo vai-se formando uma ilha de bolo cozido que flutuará sobre um mar de calda de chocolate fervilhante, como uma placa tectónica sobre magma de chocolate. O ideal é a forma ter paredes altas e tapar a grelha do forno com papel de alumínio porque algum chocolate pode acabar por verter com a violência da fervura.

Boas guloseimas!

Beringelas Recheadas

Em casa dos meus pais nunca houve hábito de se usar a beringela na cozinha do dia-a-dia, ou melhor, nunca houve o hábito de se usar beringela fosse no que fosse. Por isso esta semana foi a primeira vez não só que fiz beringela mas também que sequer comi beringela. Na minha experiência de principiante total surpreendeu-me que a beringela cheirasse a banana e que oxidasse tão rapidamente. Não fazia ideia.

Quem me pegou a vontade de provar beringela recheada foi uma amiga que me convidou há pouco tempo para jantar o prato em casa dela, jantar esse a que não pude ir. No entanto não segui a receita dela, mas sim um improviso com o que tinha disponível em casa. E gostei, basta agora que consiga convencer o resto da casa a provar e a beringela passará a entrar cá com frequência.

Ingredientes:
1 beringela
200g de carne de porco picada
1 cebola picada
1 alho picado
2 colheres de sopa de polpa de tomate
2 colheres de sopa de vinho branco
Queijo ralado
Azeite, sal, pimenta, tomilho, sumo de limão, vinho branco

  1. Cortar a beringela ao meio e escavar o interior, com cuidado para preservar a pele bem intacta. Untar o interior com limão e polvilhar com sal e tomilho.
  2. Numa frigideira refogar a cebola até ficar translúcida. Juntar o alho e depois a carne picada. Deixar refogar alguns minutos. Temperar com sal e pimenta e adionar o miolo da beringela e deixar cozinhar mais uns minutos.
  3. Juntar ao refogado a polpa de tomate, o vinho branco e tomilho. Deixar apurar uns minutos e se necessário rectificar o sal e pimenta.
  4. Rechear as metades da beringela com o refogado, cobrir o recheio com queijo ralado e levar ao forno aquecido a 180ºC cerca de 30 minutos ou até dourar.

quarta-feira, 3 de março de 2010

Panquecas Sem Ovos Mas Com Maçã


 Não é que eu tenha alguma coisa contra ovos. Muito pelo contrário. Mas quando num domingo em que lá fora há chuva, frio e trovoada, se descobre mesmo em cima da hora do lanche que: a) não há pão em casa; b)já é demasiado tarde para se fazer pão a tempo do lanche e c) não há um único ovo no frigorífico, a opção é mesmo esquecer os ausentes e seguir em frente com o que temos.

Foi assim que nasceram estas panquecas, sem ovos mas acompanhadas pela última maçã que cá havia (domingo é um dia mau para se cozinhar cá em casa...). E sabem que mais? É como se diz: só faz falta quem está. E a estas, os ovos não fizeram falta nenhuma.

Ingredientes:
1,5 chávena de farinha sem fermento
1 chávena de leite
2 colheres de sopa açucar amarelo
1/4 colher de chá de sal
2 colheres de chá de bicarbonato de sódio

Maçã picada, manteiga, açúcar amarelo, canela, sumo de limão

  1. Numa tijela misturar os ingredientes secos da massa (farinha, sal, açúcar e bicarbonato). Adicionar o leite e bater bem para misturar.
  2. Aquecer uma frigideira anti-aderente untada com manteiga e cozinhar uma concha de massa de cada vez. Virar quando o lado de cima tiver alguns furos e o fundo estiver dourado.
  3. Noutra frigideira ou tacho derreter uma colher de manteiga e fritar uma maçã picada nela. Quando começar a amolecer juntar uma colher de sopa de açúcar amarelo e se quiserem um pouco de água. Deixar cozinhar até a maçã estar cozida a gosto (eu quis a minha não muito picada nem muito cozida). Polvilhar com um pouco de canela, juntar umas gotinhas de sumo de limão e servir por cima das panquecas.
Bom apetite!

terça-feira, 2 de março de 2010

Mini Folhados de Chocolate

Esta nem receita tem de tão simples que é. Especialmente porque pode ser feita com ingredientes pré-feitos: massa folhada congelada ou fresca e um belo e nostálgico frasco de Nutella. Fora isto, apenas um pouco de ovo batido. Que pensando bem também já vem pré-feito, pela galinha sua mãe.

O formato poderia ser outro, escolhi este por ser uma espécie de croissants mas simplificados. Basta esticar a massa para lhe dar uma forma quadrada, cortá-la primeiro em vários quadrados mais pequenos e depois cortar cada um destes quadrados na diagonal, obtendo-se assim de cada um deles, dois triângulos.

Depois é só barrar a aresta maior de cada triângulo (também conhecida como hipotenusa) com Nutella (se as hipotenusas do Teorema de Pitágoras fossem barradas a Nutella, a Matemática na escola seria todo um outro prazer..), pincelar a ponta oposta com ovo e enrolar, pressionando um pouco a ponta com ovo para unir a massa.

Leva-se ao forno e deixa-se dourar. E está feito.
Related Posts with Thumbnails
 

A Casa da Vidazinha Copyright © 2009 Cookiez is Designed by Ipietoon for Free Blogger Template